Arquivo do mês: janeiro 2012

O fim da privacidade – O Ciberespaço

Uma das transformações radicais que a internet e seus subprodutos têm operado na maneira como as pessoas vivem e se relacionam se refere a um valor cultural que se estabeleceu por pelo menos dois séculos na maior parte das sociedades do mundo ocidental: o direito à privacidade.

As empresas que exploram o ciberespaço obtêm vantagens para ampliar seu faturamento em relação diretamente proporcional à sua capacidade de invadir a privacidade do maior número possível de pessoas, de modo a poder conhecer seus hábitos e lhes oferecer produtos. Continuar lendo

Felicidade à venda – O princípio da felicidade empregado pela publicidade

Muitos dizem que a propaganda é apenas reflexos de tendências, outros dizem que ela influencia diretamente no modo de vida das pessoas. Afinal a propaganda é só uma ciência que estimula o consumo a qualquer preço ou tem uma utilidade maior? Esses questionamentos nos fazem parar e pensar sobre os anúncios que vemos todos os dias na televisão, que ouvimos no rádio e agora maciçamente na internet.  Que imagens estão nos vendendo? Continuar lendo

O Boom das Redes Sociais é modismo?

Já li em diversas notícias que 2011 foi o ano delas. Passaram de simples ferramentas de união, de aproximação e de relacionamentos para fontes de pesquisas, buscas, protestos sociais, emprego, divulgação de imagens e serviços, são agregadoras de valores, informação, passa-tempo, não tem muita hierarquia e muitos podem estar inseridos nela, mostrando quem são ou o que gostariam de ser.

Ela é acima de qualquer outra definição uma rede de comunicação. Sempre existiu. Desde que o mundo é mundo e nele habitam seres racionais. Rede Social não é apenas feita por aquela comunidade online, ela se inspira nas redes offlines para construir sua base de relacionamento, mas até quando isso vai durar? Redes Sociais é um modismo cibernético? Continuar lendo

Cuidado com o que você tuíta!

As redes sociais, notadamente o micro blog Twitter, vem tomando proporções gigantescas no mundo inteiro e a cada dia sua popularidade aumenta mais. Entre outros vários serviços oferecidos, o Twitter “traz voz” a quem antes se sentia mudo. Traz também uma coisa que, por muito tempo, com censura ou não, muitos almejaram e ainda lutam por esse bem: A liberdade de expressão. Essa liberdade é debatida, cobrada e desejada em vários setores da mídia e é tema de várias discussões em diferentes níveis. Vai desde ao profissional de Comunicação ao cidadão comum. É assunto do tempo em que o país vivia em regime militar, na época de Getúlio Vargas, até ao Governo atual. Tudo isso porque falar, escrever o que bem quiser é um direito adquirido. Por outro lado, ter essa liberdade nas mãos, no dedilhar do teclado de um computador pode trazer problemas sérios, quando mal usada. Continuar lendo

A Música e a Internet

Música na nuvem

É assustador e revolucionário o poder que as novas mídias vêm dando aos “pequenos” músicos no país, àqueles que até pouco tempo achavam impossível divulgar seu videoclipe, sua música, sua arte para o mundo. Essas mesmas pessoas quase não tinham voz diante do gigante universo das celebridades, das grandes indústrias fonográficas. Embora contassem com um Youtube sempre de portas abertas para os Up’s, mesmo assim a divulgação não caminhava tão a contento. Continuar lendo

Da voz passiva para a voz ativa – O sujeito atual da sociedade virtual

O século é da interatividade

Quando falamos que a comunicação está passando por um momento de reformulação e por um processo de reinvento constante, não estamos sendo otimistas o suficiente. Acredito que a explosão da comunicação ainda nem começou. Ainda está como aquele vulcão que fumaça, expele cinzas, mas não entra em erupção.  E alguns de nós, seres passivos, ainda agimos como se tudo circundasse uma utopia que se realiza diariamente, o que, decerto deixa de ser coisa utópica e aos poucos se torna realidade. Porém, se examinarmos o modo e a forma em que os meios pelos quais recebemos as informações diariamente e se medirmos o impacto que eles provocam no nosso dia a dia, veremos o que mudou… E o que não mudou vai mudar a partir de agora, esse agora que começou ontem, meses, poucos anos atrás. Continuar lendo

Como seria o mundo sem o Google?

E o mundo sem o Google?

Essa tirinha na imagem ao lado, despertou a minha atenção no tocante a importância que o buscador Google.com vem ganhando universalmente como meio de pesquisas. Além disso, essa empresa multinacional vem agregando valores incalculáveis como proliferador de conhecimento, cultura e utilidade pública em larga escala. Desde quando se instalou na rede mundial de computadores, o Google trouxe para a humanidade “linkada” um divisor de águas: O mundo com internet e o mundo sem a internet. Tornou-se incontestavelmente uma imprescindível ferramenta e quase fonte única de conhecimento, como um novo e muito moderno e indispensável “pai de todos os burros online”. Continuar lendo